01/11/2014 | Tempo: Min: C / Max: C
Acidente
 
Pai e filho são atropelados na cidade enquanto mecânico mata e arrasta pedestre em rodovia
28/06/2012 - as 17:00:00
ilustração
S. J. do Rio Preto - Dois acidentes de trânsito na noite desta quarta-feira, 27, em Rio Preto, deixaram uma pessoa morta e duas em estado grave. Um atropelamento na rodovia Washington Luís (SP-310), por volta das 20h30, matou Roberto Lima Cordeiro, de 33 anos, que tentava atravessar irregularmente a via.

Já o guarda municipal Silvio Pedro da Silva, 46 anos, e seu filho Vinicius Rodrigues Silva, 21 anos, estavam de moto quando foram atingidos por um carro, por volta da meia noite, no Centro da cidade..

No segundo acidente, pai e filho seguiam pela rua Silva Jardim, quando na esquina com a Voluntários de São Paulo, o motorista D.V.A., 25 anos, que conduzia um GM Vectra, não observou a motocicleta e causou a colisão, fugindo em seguida. De acordo com boletim de ocorrência, a moto foi arrastada por 30 metros e as vítimas arremessadas.

Silvio foi jogado na calçada. Já Vinicius, que estava na garupa, foi violentamente arremessado contra a porta de ferro de uma ótica.

Testemunhas anotaram a placa do carro e o motorista foi encontrado na sua residência. Ele afirmou aos policiais que se apavorou no momento do acidente e por isso fugiu. Ele também confirmou que no não viu a motocicleta momentos antes da colisão.

Silvio foi encaminhado à Santa Casa em estado grave com politraumatismos. Ele quebrou o braço esquerdo e sofreu fratura exposta na perna direita. Vinícius está em estado gravíssimo no Hospital de Base. Ele está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) sedado e entubado, com traumatismo craniano.

Atropelamento

O mecânico J.O., de 64 anos, seguia na Washington Luís, sentido Rio Preto-Cedral, quando atropelou um pedestre que tentava atravessar a pista, na altura do km 439.

Com o impacto, o corpo de Roberto Lima Cordeiro foi arremessado ao canteiro central, onde foi encontrado semi-nu devido ao arrasto que sofreu. Ele morreu na hora. O veículo do mecânico, um VW/Quantum, ficou danificado e também foi parar no canteiro central.

De acordo com a Polícia Rodoviária, há marcas de freada na pista, o que demonstra a tentativa do autor do atropelamento de evitar o acidente. Apesar da boa sinalização, não há iluminação suficiente para que haja travessia de pedestres, além do grande fluxo de automóveis em velocidade superior ao trecho urbano. A passarela de pedestres fica a 200 metros do local do acidente.
sua opinião
rodape