Segunda, 22 de Abril de 2024

O maior medo do mundo

20/01/2024 as 09:28 | Fernandópolis | Julio Cesar
Você sabia que muitos especialistas conseguiram comprovar em seus estudos que um dos maiores medos do ser humano é a rejeição, até mais que o medo da morte. Muitos de nós são sócio fóbicos, temos inseguranças de sermos analisados, julgados e rejeitados em situação de interação social. A palavra rejeição vem do latim “reicere”, “atirar de volta”, formado por re-, “de volta, para trás”, mais “jacere”, “jogar, atirar”, ser rejeitado é nada mais que isso ser jogado de lado, abandonado, excluído, esquecido.

Se pararmos para pensar esta pratica está embutida em nossas vidas, na nossa forma de viver, envolve nossas amizades, família, todos os tipos de relacionamentos que nos rodeia, é inevitável e ainda pouco discutido. Está em nosso subconsciente o tempo todo, sempre estamos pensando se seremos bem aceitos, se seremos incluídos, lembrados. Algo típico que podemos citar e que gosto de exemplificar em palestras e treinamentos com vendedores, comerciantes é de o que está se passando no inconsciente do meu cliente antes de o mesmo entrar no estabelecimento em que estou atendendo. Sem nenhuma dúvida é como serei atendido neste local, serei bem-vindo, vários são os questionamentos internos sobre o tratamento que irá se receber. Dependendo da situação se for um indivíduo simples, humilde, entrando em uma loja chique podemos imaginar que isso deve ser ainda mais acentuado, pois a própria pessoa desenha em sua mente a ideia de não se encaixar naquele mundo, olhando os produtos, os preços e percebe que aquilo não pertence a ela. Cabe ao vendedor, recepcionista quem ali tiver a tarefa de receber, tratar aquele possível cliente com alegria passando tranquilidade e inclui-lo aquele ambiente.

A questão da rejeição neste processo que estamos seguindo rumo a total Sinergia é importantíssimo, pois nos levará ao nosso autoconhecimento. Quantas atitudes tomamos baseados nisso? Quantas atitudes tomamos no intuito de não sermos rejeitados e no anseio de sermos aceitos?

Podemos ver isso na ação de um jovem de classe social baixa que quer comprar um tênis de valor exorbitante fora de suas condições financeiras porque acredita que aquilo lhe trará a aceitação que deseja do seu círculo de amigos. Ele se endivida, talvez até tire de outras áreas para investir tudo naquilo que para ele inconscientemente o fará bem visto e incluído.

É necessário frisar o quanto é precioso identificarmos isso e fazermos esta leitura neste processo. Quem você é? O que você é? Em que área da sua vida você já sofreu rejeição?

Observe que dificilmente alguém passa pela vida sem ter sofrido jamais deste mal. Há muitos que nascem já sofrendo, talvez por um dos pais não querer ou não esperar conceber a esta criança neste momento. Outros podem passar a sentir quando crescem pelos próprios irmãos, que por um motivo ou outro não queriam dividir a atenção dos pais, ou acontece na escola com os colegas, com os professores, depois quando nos tornamos adultos com alguém que nos apaixonamos que possa não nos corresponder, no nosso trabalho, por não correspondermos o que desejam de nós. Inúmeras são as circunstâncias e acontecem por toda nossa vida.

Analise-se e possivelmente você se lembrará de alguma situação. Qual foi sua sensação? O que sentiu quando alguém lhe rejeitou? Podemos ser rejeitados de várias formas, não somente por palavras, mas por olhares depreciativos, de reprovação.

Algo que se faz importante é entendermos o quão afetados fomos por estas situações, quais os danos que ela lhe proporcionou e o quanto pode influenciar e afetar em seu comportamento. Para a verdadeira mudança de hábito se faz necessário uma profunda autoanalise e a correção para um recomeço e renovação.

Tenho como tarefa mostrar que todas as atitudes de rejeição que citamos ou que você já viveu não se acabarão, pois sempre haverá alguém considerado melhor que você, com condições vistas como melhores que as suas, ou mais bonito, ou mais inteligente, mas o detalhe e o cerne de todo o processo é não deixar que isto entre em você e o faça pensar que você não tem a sua importância. Você é um ser único e especial da sua maneira.

Conheci alguém que comprou um barco que desejou muito, mas assim que conseguiu, percebeu que não era o bastante e logo deseja um maior e assim sucessivamente nunca a conquista é o suficiente, sempre falta algo a ser alcançado. Como se a vida fosse um buraco sem fundos insaciável que nunca é aplacado. Assim é o sentimento de rejeição quando não é curado, tratado, diagnosticado. O indivíduo não consegue ter satisfação naquilo que conquista porque transfere a sua felicidade na aprovação que os outros tem sobre ele.

A grande lição que precisamos aprender é de como lidar com isso. Há muitos que não percebem, mas tem motivação a ser rejeitado, há aqueles que já possuem um sentimento enraizado dentro deles, infelizmente são indivíduos que levam a vida tentando ser da forma que os outros querem que elas sejam para serem aceitas. Vivem em busca de afirmação contínua.

A Bíblia com seus ensinamentos nos mostra lá no princípio da humanidade a rejeição vivida por Abel pelo seu irmão Caim. Se irmos um pouco mais a frente encontramos a história de José do Egito, que foi rejeitado, rotulado e vendido pelos seus próprios irmãos e pôde dominar as adversidades e sofrimentos que enfrentou com toda essa rejeição e conseguir sua vitória. José é um típico exemplo de superação e perseverança. Um exemplo ainda bíblico e maior que qualquer outro que possamos encontrar é o próprio Cristo, nela em Atos 4, 11 diz “Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, Ele veio para os seus, mas os seus não o receberam”.

Na cena mais triste e humilhante de toda a humanidade, a crucificação mostrou o desprezo, o ódio, o escárnio perante a figura de Jesus. Muitos gritavam salvou a todos, mas não consegue se salvar. Vemos Nele um arquétipo para vivermos nos nossos dias.

Como é difícil e ardo quando nos sentimos desprezados, seja pelo que for. Consegue imaginar a dor de alguém excluído pela sua cor de pele, pela sua classe social, pela sua profissão, pelo lugar que nasceu, de onde veio, muitas vezes por situações que não envolvem escolhas, mas algo que é intrínseco daquele indivíduo. Pode acontecer também por alguma enfermidade, algum acidente que trouxe sequelas físicas, mentais ou psicológicas.

Temos em Jesus uma grande lição, porque mesmo em meio a um ódio sem precedentes, um ataque sem merecimento, Ele se manteve firme, focado em seu propósito, na missão que deveria cumprir ali. Sabia que tinha o poder e autoridade de acabar com aquela situação, que poderia descer daquela cruz e dar ordem aos anjos para que destruíssem a todos que ali estavam, mas não o fez. Entendeu tão fielmente a situação que deveria de enfrentar e até intercedeu pelos seus algozes, dizendo: “Pai perdoa, eles não sabem o que estão fazendo”

O Cristo sabia quem Ele era, entendia o porquê de sua existência, sabia que sua percepção era maior de que qualquer um que estivesse naquela situação. Alguém que te rejeita pode estar em uma posição social, financeira ou política mais elevada que você, mas se sabe para que e o porquê foi feito, se tiver inteligência emocional não se nivelará, conseguirá agir como Nosso Mestre, evitando que isso lhe afete, e te faça cair ou te desvie do seu verdadeiro caminho.

Não se pode negar, quem está ferido, fere. Quem é maltratado, maltrata, quem apanha também quer bater. Isso se torna um ciclo vicioso que só leva a mais dor e sofrimento. Ora, se um ladrão te roubar, você não sairá e roubará o primeiro que aparecer na sua frente. Posicione-se, fortifique-se, não se permita viver uma vida que é subjugada ao que os outros pensam ou querem que você seja.

Uma vida feliz, deve ser vivida com alegria, com liberdade de ser quem você realmente é, sem máscaras, sabendo que há aqueles que verdadeiramente te amam, te apoiam, que torcem por você. Aprenda a enxergar no meio da multidão pessoas valiosas que possam te fazer crescer e valorizar sua companhia pelo que você é!

Júlio César coach , livro HIPER AÇÃO
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestões de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com