Justia absolve apresentador que chamou Ludmilla de pobre macaca - regiaonoroeste.com
Quarta, 31 de Maio de 2023

Justia absolve apresentador que chamou Ludmilla de pobre macaca

29/03/2023 as 08:39 | Brasil | G1
A Justia de Braslia absolveu o apresentador Marcos Paulo Ribeiro Morais, conhecido como Marco do Povo, da acusao de injria racial contra a cantora Ludmilla.

A ao criminal proposta pelo Ministrio Pblico do Distrito Federal (MPDF) era por causa do episdio em que o apresentador chamou a artista de "pobre macaca" ao comentar uma notcia sobre ela em um programa exibido em 2017.

O juiz Omar Dantas Lima, da 3 Vara Criminal de Braslia, onde a ao tramitava, entendeu que Marco do Povo usou a expresso pobre macaca em contexto de crtica vtima, mas sem configurao do artigo 140 do Cdigo Penal, que trata de injria.

O magistrado ressaltou que Ludmilla se sentiu ofendida pelos recortes dados nas redes sociais, e que viralizaram, de modo que a palavra macaca fosse repetida insistentemente, mas, segundo ele fora de seu contexto original.

Omar Dantas Lima criticou o uso da expresso, e disse em sua sentena que a deciso no anularia uma ao cvel.

Em que pese o evidente excesso e inadequao da expresso utilizada pelo denunciado, no se vislumbra o animus injuriandi na espcie. No h dvida de que os fatos em questo geraram indignao e transtornos vtima. Mas no existe prova segura do dolo especfico do agente no sentido de injuriar a ofendida", escreveu.

Ao cvel
"Vale ressaltar que o presente ato decisrio no obsta que a vtima busque reparao de natureza cvel em decorrncia dos fatos em questo. Mas estando ausente o dolo da injria, impe-se a absolvio do acusado. Julgo improcedente, escreveu na sentena do dia 20 de maro, e que foi divulgada na segunda-feira (27).

O g1 entrou em contato com o Ministrio Pblico do Distrito Federal para saber se o rgo pretende recorrer da ao, e aguarda a resposta da instituio.

J o advogado Rannieri Lopes, que representa Marco do Povo, disse que sempre acreditou na inocncia de seu cliente, e que ele usou uma expresso regional, e no racista.

A expresso que ele usou foi pobre macaca, pobre, mas pobre mesmo. uma expresso regional usada em Gois. Tanto que, na sequncia, ele se refere a ele mesmo dizendo que j tinha sido pobre macaco tambm, disse o advogado.
Ludmilla vai tentar recorrer
Mesmo no sendo autora da ao, o g1 apurou que a cantora vai habilitar seu advogado, Felipe Rei, para represent-la como assistente de acusao no recurso na segunda instncia.

Na segunda-feira (27), ao saber da deciso, Ludmilla se manifestou nas redes sociais e j dava indcios que no iria desistir do processo.

Ontem foi mais um dia difcil na vida de quem luta contra o preconceito. Surpreendentemente, mesmo aps a utilizao dos termos pobre e macaca contra mim, o juzo da 3 Vara Criminal de Braslia entendeu que no houve, por parte do apresentador Marco do Povo, a inteno de ofender (?!). Pois eu digo: ofendeu, sim. Como pode? Eu, quieta na minha, do nada vem um racista me atacando em rede nacional. No podemos descansar at que seja feita justia, escreveu.

O caso
Apresentador da edio brasiliense do programa "Balano geral", da Record, Marco do Povo comentou uma notcia que envolvia a cantora Ludmilla e usou a expresso " pobre macaca" para se referir artista.

Ele falava sobre boatos de a cantora no gosta de tirar fotos com os fs e disse: "Uma coisa que no d para entender, era pobre e macaca, pobre, mas pobre mesmo", disse.

Na sequncia, emendou: Eu tambm era pobre e macaco, falava isso para os meus amigos. Hoje eu digo que sou rico de sade, graas a Deus.
MAIS LIDAS
� vedada a transcri��o de qualquer material parcial ou integral sem autoriza��o pr�via da dire��o
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugest�o de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com