Famlia de Stuart Angel vai periciar suposto documento sobre tortura - regiaonoroeste.com
Domingo, 28 de Maio de 2023

Famlia de Stuart Angel vai periciar suposto documento sobre tortura

29/03/2023 as 08:23 | Brasil | Agncia Brasil
Um leilo virtual anunciava at a ltima sexta-feira (24) um documento de 1976 com informaes sobre a morte de Stuart Edgar Angel, estudante de economia e militante do MR8 que lutou contra a Ditadura Militar no Brasil. O caso gerou notas de repdio do Instituto Vladimir Herzog e de solidariedade do Ministrio dos Direitos Humanos e da Cidadania. Alm disso, mobilizou a famlia: a jornalista e irm do desaparecido poltico, Hildegard Angel, conseguiu suspender o leilo com a ajuda de advogados e recebeu nesta tera-feira (28) o item em mos. Agora, a prioridade descobrir se ele autntico.

Ns vamos periciar esse documento, meu advogado e eu. E ele est disposto a ir at o fim com essa histria. Mas esse documento j cumpriu o objetivo que foi trazer de volta a lembrana desse assunto s vsperas do dia do golpe, que eles apelidaram de revoluo, disse Hildegard.

A suposta carta-confisso assinada por um oficial da aeronutica de nome Marco Aurlio de Carvalho. Ela tem duas pginas amareladas, data de 30 de maro de 1976 e possui um carimbo de registro em cartrio. O declarante d detalhes dos interrogatrios e das torturas contra Stuart Angel na Base Area do Galeo, no Rio de Janeiro, em maio de 1971.

O oficial afirma que Stuart Angel foi submetido a uma sesso de choques eletromagnticos, afogamentos e amarrado ao para-choque de um jipe. Arrastado nessa condio por vrias horas, ele morreu, o corpo foi colocado em um helicptero e jogado no mar. O principal objetivo dos torturadores era obter uma confisso sobre o paradeiro de Carlos Lamarca, um dos lderes da luta armada contra a Ditadura. O que no aconteceu.

Autenticidade
A descoberta do texto causou comoo, mas especialistas ouvidos pela Agncia Brasil acham improvvel que ele seja autntico. H, pelo menos, dois pontos crticos: a identidade do autor e o contexto histrico. o que explica Pdua Fernandes, ex-pesquisador da Comisso da Verdade do Estado de So Paulo Rubens Paiva e da Comisso Nacional da Verdade (CNV), atualmente filiado ao Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS).

uma poca ainda de muita represso, do governo Geisel, quando continuam ocorrendo assassinatos polticos. Esse documento seria improvvel no s por ser feito por um militar, mas por ter sido levado a um cartrio. No seria o local seguro para fazer um documento desses. Um segundo ponto que os nomes no batem. Esse suposto militar no aparece no relatrio da Comisso Nacional da Verdade, no aparece em dossis dos familiares dos mortos e desaparecidos polticos. Eu verifiquei na base de dados do Arquivo Nacional, tampouco aparece l.

O pesquisador diz que, nessa poca, o mais comum era que as pessoas fizessem declaraes escritas quando tinham medo de serem assassinadas pelos agentes da Ditadura. Ele lembra do caso de Ins Etienne Romeu, nica sobrevivente da Casa da Morte, em Petrpolis, que deixou um registro da prpria histria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). E de Crimia Alice Schmidt de Almeida, guerrilheira no Araguaia, que confiou a uma igreja catlica de So Paulo texto em que afirmava no ter pretenso de se matar. E que se algo acontecesse com ela, era preciso suspeitar da Ditadura.

H outras inconsistncias no suposto documento encontrado agora. Ele menciona o nome de Alberto Dias como autor de uma carta enviada para Zuzu Angel, com detalhes sobre o que aconteceu com Stuart na priso. Mas o nome Alberto Dias no existe em nenhum tipo de registro da poca. A carta que Zuzu Angel recebeu em 1972 era de Alex Polari, vizinho de cela de Stuart. Outro ponto de divergncia sobre a data de priso. Polari fala em 14 de maio de 1971, e a carta-confisso assinada por Marco Aurlio de Carvalho fala em 15 de maio de 1971.

O homem que colocou o documento no site de leilo disse que o adquiriu em uma feira de antiguidades na Praa XV, regio central do Rio. E que o material chegou a ele por meio de outros colecionadores. Uma das hipteses que a carta-confisso seja um item fictcio utilizado no filme Zuzu Angel, de 2006. Uma cena do longa-metragem traz palavras e formatao similares ao texto encontrado na feira de antiguidades. Os nomes de Marco Aurlio Carvalho e de Alberto Dias, que historiadores no reconhecem, so citados como personagens no filme.

Hildegard Angel conta que se emocionou ao tomar conhecimento do registro. Mas, agora, tambm trabalha com a possibilidade de que, se ele no for verdadeiro, tenha sido intencionalmente forjado. Quando comearam a surgir as dvidas sobre a legitimidade desse documento, eu pensei, meu Deus do cu, se isso for um documento falso, a que ponto pode chegar a perversidade de jogar com os sentimentos de uma famlia que h 52 anos busca por uma manifestao oficial.
MAIS LIDAS
� vedada a transcri��o de qualquer material parcial ou integral sem autoriza��o pr�via da dire��o
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugest�o de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com