UPA faz confuso e famlia organiza velrio para parente vivo - regiaonoroeste.com
Terca, 21 de Marco de 2023

UPA faz confuso e famlia organiza velrio para parente vivo

19/03/2023 as 11:54 | Estado de So Paulo | G1
Um erro de uma Unidade de Pronto Atendimento de Ribeiro Preto (SP) levou uma famlia de Bebedouro (SP) a organizar o velrio de um parente que na verdade estava vivo.

De acordo com familiares, a equipe da UPA da Avenida Treze de Maio informou que o aposentado Jos Roberto Pereira, de 58 anos, que vive em Ribeiro Preto, havia morrido, mas no permitiu o reconhecimento no local e liberou o corpo de outra pessoa para o traslado at Bebedouro.

A confuso somente foi desfeita quando Pereira, que soube por terceiros do ocorrido, ligou para uma de suas irms e confirmou que estava vivo.

"Foi assim um filme de terror, porque eu j tinha passado muita dificuldade para conseguir enterrar meu irmo, pra conseguir abrir uma cova, foi assim, resumindo, muito difcil", afirma a auxiliar de sade bucal Lourdes Pereira Liberato.

O caso foi registrado na Polcia Civil, e a famlia avalia entrar na Justia tanto por danos materiais, pelos gastos com o velrio, quanto morais.

A Secretaria Municipal de Sade confirmou e lamentou o equvoco, alm de se prontificar em arcar com os custos da famlia com o velrio, mas negou que tenha impedido o reconhecimento do corpo na unidade de sade. "A Secretaria da Sade esclarece que no h proibio de reconhecimento do corpo, inclusive faz parte do protocolo."

Alm disso, informou que vai investigar se houve falha do setor responsvel pela conferncia de documentos na hora de liberao do corpo.

At a ltima atualizao desta notcia, a Prefeitura no tinha conseguido localizar a famlia do paciente que morreu.

Erro em comunicao de morte
A confuso aconteceu na sexta-feira (17). Segundo informaes da prpria Prefeitura, dois pacientes com sobrenomes "parecidos" passaram pela UPA da Avenida Treze de Maio.

Um deles que chegou a ser atendido no local, mas teve uma piora no quadro clnico e morreu. O outro Jos Roberto Pereira, que chegou a procurar atendimento, foi medicado, mas deixou o local.

Segundo a famlia, foi ento que um filho do aposentado foi chamado a comparecer UPA, onde foi avisado por um funcionrio que o pai havia morrido depois de passar mal, mas no teve a chance de reconhecer o corpo.

"Ele [o funcionrio] falou: no, naquele lugar voc no pode entrar, j est tudo certo, seu pai, s vai atrs do sepultamento, da funerria, para eles fazerem o transporte e o enterro do corpo", afirma Lourdes.

Depois disso, Lourdes comeou a providenciar os detalhes para o funeral, que aconteceria em Bebedouro. Enquanto o corpo era levado de Ribeiro Preto para o velrio, uma das irms do aposentado recebeu uma ligao, que a princpio achou estranha: quem havia ligado era o prprio Jos Roberto Pereira, insistindo que estava vivo.

Por um acaso, ele havia passado no local de trabalho do filho, uma imobiliria em Ribeiro Preto, onde foi reconhecido por um terceiro, que o alertou sobre a confuso.

"Falou assim: oh, eu no morri, eu t aqui. Vocs esto no velrio? O que est acontecendo?", afirma Lourdes.

aSegundo ela, a irm no acreditou no que ouvia e achou que aquilo fosse uma brincadeira de mau gosto. "At achei que ela estivesse surtando na hora. Ela falou: para de brincar comigo, voc est vivo?"

Depois de muita insistncia e de um vdeo gravado pelo prprio aposentado, a famlia entendeu o que havia ocorrido. Com a chegada do caixo ao velrio, onde estava o corpo de um homem mais jovem, a a confuso foi desfeita.

"A minha irm comeou a entrar em desespero, pediu pra todo mundo escutar a voz dele pra entender o que estava acontecendo. A eles colocaram o caixo naquela hora mesmo: abre, abre, pelo amor de Deus, abre esse caixo. A eu vi realmente que no era meu irmo", conta Lourdes.

Apesar do alvio de saber que o irmo est bem, a auxiliar de sade bucal relata que o transtorno para a famlia foi muito grande e que tudo poderia ter sido diferente, caso tivesse havido o reconhecimento do corpo na UPA.

"Ele ficou super preocupado, todo mundo passando mal naquela hora, porque, que situao essa, a gente v isso em filme, na vida real a gente no v. Eu acho que errar todo mundo erra, o ser humano falho, mas no deixar ver o corpo e mandar mesmo assim, gente, nem com bicho se faz isso", questiona a irm do aposentado.
MAIS LIDAS
� vedada a transcri��o de qualquer material parcial ou integral sem autoriza��o pr�via da dire��o
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugest�o de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com