Procon acompanha queda de preço da gasolina após redução do ICMS - regiaonoroeste.com
Segunda, 08 de Agosto de 2022

Procon acompanha queda de preço da gasolina após redução do ICMS

02/07/2022 as 11:40 | Estado de São Paulo | Estadão
Levantamento do Procon-SP mostra que o preço do litro da gasolina teve redução média de R$ 0,30 no Estado. A queda foi constatada nos dias 28 e 29 de junho, após o governador Rodrigo Garcia anunciar a redução do ICMS sobre a gasolina de 25% para 18%.

Em algumas cidades, o preço da gasolina chegou a ficar R$ 0,50 mais barato. O valor do etanol também tem acompanhado essa redução e já pode ser encontrado na casa dos R$ 3,70 em Araçatuba (SP), por exemplo.

"Acredito que somos uma das categorias que mais percebem essas variações, porque o preço da gasolina influencia diretamente o nosso lucro", afirma Ana Paula Aparecida de Oliveira, que trabalha como motorista de aplicativo. "Nesta semana, coloquei o mesmo valor de sempre de combustível e consegui rodar mais, porque o litro está mais barato."

Segundo ela, o valor do combustível afeta o trabalho dos motoristas de aplicativo em várias frentes. Para que o lucro não diminua tanto quando o combustível está mais caro, muitos recorrem a mais horas de trabalho ou dirigem em regiões e horários específicos para obter mais ganhos.

"O preço reflete não só nos meus ganhos, mas também na minha segurança e no modo como eu tenho de trabalhar", diz. "O aplicativo paga um preço dinâmico maior para corridas em regiões mais perigosas, por exemplo, porque os motoristas costumam recusar."

Outro que sentiu no bolso a queda de preços foi Lenaildo de Souza Dias, taxista em São a Paulo há 20 anos. "Eu uso uma média de R$ 100 a R$ 150 por dia para abastecer. Com o preço mais baixo, podemos rodar a mesma quantidade de quilômetros gastando menos, o que ajuda muito na diária no fim do dia. Ajuda todo mundo que trabalha com veículo", disse.

Presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo (Amasp), Eduardo Lima de Souza adverte, porém, que o quadro não é estável. "Nossa preocupação é que, enquanto o governo faz uma manobra gigantesca para essa redução, o dólar ainda está na atividade em conexão com o petróleo. Se o dólar aumentar, a gente volta a pagar o que estava pagando antes."
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com