OMS confirma 92 casos de varíola de macaco em 12 países - regiaonoroeste.com
Terça, 28 de Junho de 2022

OMS confirma 92 casos de varíola de macaco em 12 países

23/05/2022 as 11:55 | Mundo | RP10
A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou neste domingo (22) que pelo menos 12 países confirmaram a existência de 92 casos de varíola de macaco, doença rara provocada por um vírus semelhante ao da varíola, que está erradicada no mundo desde 1980.

Até o momento, a doença foi registrada nos seguintes países: Austrália, Bélgica, Canadá, França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

Na Itália, as autoridades sanitárias identificaram três casos da doença, sendo que os dois últimos estão ligados ao “caso zero” de varíola de macaco no país, detectado em Roma, em um paciente recém-retornado das Ilhas Canárias, na Espanha.

Segundo a OMS, para os casos relatados até agora, não foram estabelecidas ligações de viagem com as áreas onde a doença é endêmica.

“Com base nas informações atualmente disponíveis, os casos foram identificados principalmente, mas não exclusivamente, entre homens que fazem sexo com homens”, alertou em nota.

A organização afirmou ainda que a situação “está evoluindo” e há a previsão de “que haverá mais casos de varíola de macaco identificados à medida que a vigilância se expande em países não endêmicos”.

“Ações imediatas focam em informar aqueles que podem estar em maior risco de infecção com informações precisas, a fim de impedir uma maior disseminação”, explicou a OMS.

De acordo com a entidade, “as evidências atuais disponíveis sugerem que aqueles que estão em maior risco são aqueles que tiveram contato físico próximo com alguém com varíola de macaco enquanto eram sintomáticos”.

Dados da OMS revelam que os países endêmicos da varíola são: Benin, Camarões, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Gabão, Gana (identificada apenas em animais), Costa do Marfim, Libéria, Nigéria, República do Congo e Serra Leão.

“A OMS está trabalhando para fornecer orientações para proteger os profissionais de saúde da linha de frente e outros profissionais de saúde que possam estar em risco da infecção por varíola, como faxineiros”, acrescenta o comunicado, revelando que mais recomendações técnicas serão fornecidas nos próximos dias.

O vírus pode ser transmitido por gotas de saliva e por contato com fluídos corporais e lesões cutâneas, inclusive durante relações sexuais. Já os sintomas são semelhantes aos da varíola, como febre, dores musculares e o surgimento de bolhas na pele, embora de forma mais leve.

O nome “varíola de macaco” se deve ao fato de o vírus ter sido descoberto em colônias de símios, em 1958. Atualmente, acredita-se que os roedores sejam os principais hospedeiros do patógeno. (ANSA).
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com