Terça, 07 de Dezembro de 2021

MP analisa quase 10 mil páginas do inquérito da Santa Casa

20/10/2021 as 08:05 | Fernandópolis | Da Redaçao
O Ministério Público de Fernandópolis, há cerca de dois meses, analise 14 volumes de um inquérito policial sobre fraudes cometidas na Santa Casa da cidade. São quase 10 mil páginas de documentos, depoimentos e provas de possíveis crimes cometidos por diversos tipos de pessoas que estavam ligadas a instituição.

Depois de ser analisado, o Ministério Público poderá solicitar novas diligências, novas provas e até pedir prisões, se caso achar necessário. O prazo para conclusão não foi estipulado, mas o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil de Fernandópolis, por meio da equipe do delegado Ailton Canato, deve ter novos desdobramentos nas próximas semanas.

As investigações sobre fraudes na Santa Casa de Fernandópolis teve início em 2019 a partir de uma denúncia formal do vereador Murilo Jacob. Em julho de 2019, houve a primeira operação que apreendeu documentos e equipamentos.

No início de 2020, resultou em uma nova fase, que desta fez, teve até pedidos de prisões de ex-provedores e membros de conselhos, incluído político e parte de diretoria executiva.

A abertura da famosa “caixa preta” investigou a OSS Andradina, também se estendendo aos ex-provedores que passaram pela instituição, como Sandra Godoi, Geraldo de Carvalho, José Sequini Junior e Diomar Pedro Durval.

Empresas e outras instituições que trabalharam em parceria coma Irmandade também foram investigadas no inquérito policial e aguardam um desfecho do MP se haverá novas denúncias à Justiça Estadual.
MAIS LIDAS
Santo Antônio do Aracanguá
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com