Quarta, 27 de Outubro de 2021

Estado tem mais de 16 mil casos de picadas por escorpiões em 2021

14/10/2021 as 06:30 | Estado de São Paulo | G1
O estado de São Paulo registrou 16.248 casos de pessoas picadas por escorpiões neste ano, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. Os dados são de janeiro a agosto de 2021. Em todo ano passado foram mais de 36.109 casos e 7 mortes.

Especialistas ouvidos pela reportagem fazem alertas para que a população tome cuidados com lixos e entulhos. Segundo eles, a incidência de invertebrados aumenta em estações mais quentes, como a primavera e o verão.

Os escorpiões são invertebrados artrópodes da classe dos aracnídeos. Quando picam uma pessoa com sua cauda, podem inocular veneno, mas nem sempre.

A síndica Juliana Cristine David encontrou vários escorpiões no condomínio onde mora, em São Carlos, interior paulista. O mais recente foi na semana passada. Desde o começo do ano, São Carlos teve 72 ocorrências de animais peçonhentos.

“A gente tem muita criança. Temos muito medo de que aconteça algo mais grave”, disse Juliana.

Dourados é outra cidade do interior do estado que está tendo registros de casos de pessoas picadas por escorpiões. Foram 23 ocorrências este ano. Para efeito comparativo, em 2020 foram 28 registros.

Um dos motivos para a ocorrência de casos envolvendo escorpiões está no acúmulo de lixo e entulho em terrenos baldios. Esses lugares são abrigos para eles.


“Acúmulo de telhas, tijolos, madeira, saídas de esgoto abertas, caixas de gordura sem vedação, ralos abertos... tem que ser todos fechados para realmente evitar o acidente, a picada”, falou Christiane Jorge Sabatini, coordenadora do Controle de Vetores da Prefeitura de Dourados.

“Na verdade, o escorpião começa a aparecer nesta época com mais frequência por que o número de presas dele, com o calor, aumenta. Consequentemente ele vai sair mais à caça e vai entrar nessa alta de reprodução”, disse o biólogo Fernando Magnani.

Segundo especialistas, o veneno de escorpião pode levar mais riscos a saúde de crianças e idosos.

“Havendo o encontro com o escorpião, é sempre obrigatório levar essa vítima para atendimento numa UPA [Unidade de Pronto Atendimento] ou num ambiente hospitalar”, falou Rodolpho Telarolli, médico sanitarista. Segundo o médico, o uso do soro antiescorpiônico não é rotineiro.

Para se prevenir contra picadas de escorpiões, a auxiliar de limpeza Luzia do Carmo Valdivia criou o hábito de sempre chacoalhar os tênis antes de calcá-los. Ela já levou uma picada de escorpião.

“É uma dor insuportável. Muito forte mesmo. Ela vem adormecendo o pé, a perna”, disse Luzia, que dá o recado. “Está faltando cada um fazer a sua parte, limpar o quintal, o seu terreno e não deixar nada acumulado”.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com