Covid-19 pode causar aumento na infertilidade masculina - regiaonoroeste.com
Quarta, 29 de Marco de 2023

Covid-19 pode causar aumento na infertilidade masculina

06/09/2021 as 13:00 | Estado de So Paulo | Da Redaao
Ao acompanhar, desde o incio do ano passado, pacientes homens que tiveram COVID-19, o andrologista Jorge Hallak, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de So Paulo (FM-USP), comeou a observar que os resultados de exames de fertilidade e hormonais deles permanecem alterados por muitos meses aps se recuperarem da doena.

Apesar de ser um teste inicial e no ter condies de diagnosticar fertilidade ou infertilidade, o espermograma de vrios pacientes tem indicado, por exemplo, que a motilidade espermtica a capacidade de os espermatozoides se moverem e fertilizarem o vulo, cujo ndice normal acima de 50% caiu para entre 8% e 12% e permaneceu nesse patamar quase um ano aps terem sido infectados pelo SARS-CoV-2. J os testes hormonais apontam que os nveis de testosterona de muitos deles tambm despencaram aps a doena. Enquanto o nvel normal desse hormnio de 300 a 500 nanogramas por decilitro de sangue (ng/dL), em pacientes que tiveram COVID-19 esse ndice chegou a variar abaixo de 200 e, muitas vezes, ficou entre 70 e 80 ng/dL

Temos visto, cada vez mais, alteraes prolongadas na qualidade do smen e dos hormnios de pacientes que tiveram COVID-19, mesmo naqueles que apresentaram quadro leve ou assintomtico, diz Hallak Agncia FAPESP.

Alguns estudos feitos pelo pesquisador em colaborao com colegas do Departamento de Patologia da FM-USP, publicados nos ltimos meses, tm ajudado a elucidar essas observaes feitas na prtica clnica.

Os pesquisadores constataram que o SARS-CoV-2 tambm infecta os testculos, prejudicando a capacidade das gnadas masculinas de produzir espermatozoides e hormnios.

muito preocupante como o novo coronavrus afeta os testculos, mesmo nos casos assintomticos ou pouco sintomticos da doena. Entre todos os agentes prejudiciais aos testculos que estudei at hoje, o SARS-CoV-2 parece ser muito atuante, afirma Hallak. Cada patologia tem particularidades que a prtica e a experincia nos demonstram. O SARS-CoV-2 tem a caracterstica de afetar a espermatognese de formas que estamos descobrindo agora, como motilidade progressiva persistentemente muito baixa, sem alterao da concentrao espermtica significativa, diz.

Em um estudo com 26 pacientes que tiveram COVID-19, os pesquisadores verificaram por meio de exames de ultrassom que mais da metade deles apresenta inflamao grave no epiddimo estrutura responsvel pelo armazenamento dos espermatozoides e onde eles adquirem a capacidade de locomoo.

Os pacientes tm idade mdia de 33 anos e so atendidos no Hospital das Clnicas da FM-USP e no Instituto Androscience. Os resultados do estudo, apoiado pela FAPESP (Fundao de Amparo Pesquisa do Estado de So Paulo), foram publicados na revista Andrology.

Ao contrrio de uma infeco bacteriana clssica ou por outros vrus, como o da caxumba, que causa inchao e dor nos testculos em um tero dos acometidos, a epididimite causada pelo novo coronavrus indolor e no possvel de ser diagnosticada por apalpamento [exame fsico] ou a olho nu, explica Hallak.

Por isso, segundo ele, seria interessante ensinar o autoexame dos testculos como poltica de sade pblica no ps-pandemia.

ideal que os adolescentes, adultos jovens e homens em idade ou com desejo reprodutivo, aps serem infectados pelo SARS-CoV-2, procurem um urologista ou andrologista e faam uma consulta com mensurao do volume testicular, dosagem de testosterona e de outros hormnios, alm de anlises do smen com testes de funo espermtica, seguidos de um exame de ultrassom com Doppler colorido, para verificar se apresentam algum tipo de acometimento testicular que pode afetar a fertilidade e a produo hormonal, sugere Hallak.

Esses indivduos devem ser acompanhados por um a dois anos aps a infeco, pelo menos, pois ainda no sabemos como a doena evolui, aponta.

Invaso de clulas testiculares

Outro estudo recm-publicado pelo mesmo grupo de pesquisadores e tambm apoiado pela FAPESP indicou que o SARS-CoV-2 invade todos os tipos de clulas testiculares, causando leses que podem prejudicar a funo hormonal e a fertilidade masculina.

Por meio de um projeto coordenado pelos professores da FM-USP Paulo Saldiva e Marisa Dolhnikoff, foram empregadas tcnicas de autpsia minimamente invasivas para extrair amostras de tecidos testiculares de 11 homens, com idade entre 32 e 88 anos, que morreram no HC-FM-USP em decorrncia de COVID-19 grave.

Os resultados das anlises indicaram uma srie de leses testiculares que podem ser atribudas a alteraes inflamatrias que diminuem a produo de espermatozoides (espermatognese) e hormonal.

O que nos chamou a ateno de imediato nesses pacientes que morreram em decorrncia da COVID-19 foi a diminuio drstica da espermatognese. Mesmo os mais jovens, em idade frtil, praticamente no tinham espermatozoides, conta Amaro Nunes Duarte Neto, infectologista e patologista da FM-USP e do Instituto Adolfo Lutz e coordenador do estudo.

Segundo o pesquisador, algumas das provveis causas da diminuio da espermatognese nesses pacientes foram leses causadas pelo vrus nos vasos do parnquima testicular, com a presena de trombos, que levaram hipxia ausncia de oxigenao nos tecidos , alm de fibroses que obstruem os tbulos seminferos, onde os espermatozoides so produzidos.

Uma das razes provveis para a diminuio hormonal a perda de clulas de Leydig, que se encontram entre os tbulos seminferos e produzem testosterona.

As funes dos testculos de produzir espermatozoides e hormnios sexuais masculinos so independentes, mas h uma interconexo entre elas. Se a produo de hormnios pelas clulas de Leydig estiver prejudicada, a fertilidade tambm ser diminuda, afirma Duarte Neto.

Alguns dos sintomas da deficincia de testosterona (hipogonadismo) so perda muscular, cansao, irritabilidade, perda de memria e ganho de peso, que podem ser confundidos como efeitos de longo prazo da COVID-19.

Uma parte importante desse quadro clnico seguramente est relacionada a uma baixa funo testicular. Mas isso ainda no tem sido abordado porque os pacientes no tm dor e no se costuma dosar os hormnios e nem fazer anlise dos espermatozoides aps eles se recuperarem da COVID-19, alerta Hallak.

Os pesquisadores pretendem realizar um estudo de acompanhamento de pacientes homens que tiveram a doena com o objetivo de avaliar em quanto tempo as leses testiculares causadas pelo SARS-CoV-2 podem ser revertidas naturalmente ou por meio da administrao de medicamentos.

Ainda no sabemos se essas leses testiculares podero ser revertidas e quanto tempo levar para isso acontecer, afirma Hallak.

As principais preocupaes do pesquisador so em relao a homens em idade reprodutiva, adolescentes e pr-pberes, sobre os quais ainda no h dados sobre leses testiculares causadas pela COVID-19. No se sabe quais sero os impactos na puberdade em relao capacidade frtil, se a produo de hormnios ser afetada de forma transitria, prolongada ou definitiva e qual o grau de leso residual irreversvel.

Como no h dados de pr-infeco pelo SARS-CoV-2 de cada indivduo, os estudos prospectivos devero incluir um grupo controle para efeitos de comparao, sugere Hallak.

Esses indivduos podem ter problemas de infertilidade e alteraes hormonais no futuro e no saberem que isso pode ter sido causado pela infeco pela COVID-19, porque apresentaram sintomas leves ou foram assintomticos, pondera.

Aumento da infertilidade masculina

O pesquisador estima que a COVID-19 poder causar um aumento na infertilidade masculina. Atualmente, entre 15% e 18% dos casais enfrentam dificuldades para conceber por problemas masculinos em 52% dos casos.

Esse cenrio pode desencadear uma busca maior por tcnicas de reproduo assistida que, de acordo com ele, realizada por vezes de forma apressada no Brasil para causas masculinas, sem avaliao inicial adequada e padronizada e, muitas vezes, sem que seja estabelecido o diagnstico causador inicial e sem tempo hbil para se propor condutas com base em melhor custo-benefcio e a aplicao de tratamentos especficos que podem curar a causa ou restabelecer a capacidade frtil natural.

Ser preciso tomar muito cuidado com a reproduo assistida ps-pandemia de COVID-19, pois no se sabe as consequncias disso nos meses subsequentes infeco, ressalta Hallak.

Uma vez que o SARS-CoV-2 tem sido detectado em todos os tipos de clulas dos testculos, que participam de todas as etapas da espermatognese, no se sabe se o vrus tambm pode estar presente em espermatozoides de pacientes que tiveram COVID-19 meses depois de terem se recuperado da doena.

Esses espermatozoides podem ter sido afetados pelo vrus e, idealmente, deveria preventivamente se esperar, no mnimo, um ciclo de espermatognese ao redor de 90 dias para que seja feita nova avaliao investigativa androlgica, indica Hallak.

Temos visto leses de DNA causadas pelo novo coronavrus altssimas, ao redor de 80%, enquanto o normal de at 25% e, o aceitvel, at 30%, compara.

Outra preocupao do pesquisador com a reposio de testosterona nesses pacientes que tiveram COVID-19 e queda hormonal, que, segundo ele, uma medida desnecessria.

A reposio de testosterona em um paciente j afetado vai inibir ainda mais a funo testicular. Os testculos tm mecanismos de reparao para voltar a produzir hormnios e existem tratamentos medicamentosos que aumentam a produo natural dos hormnios esteroidais, restabelecendo progressivamente a funo testicular intrnseca do indivduo. Isso tambm vai depender se houve leso s clulas de Leydig e em qual grau, que algo que no sabemos ainda, pondera.

O artigo Radiological patterns of incidental epididymitis in mild-to-moderate COVID-19 patients revealed by colour Doppler ultrasound (DOI: 10.1111/and.13973), de autoria de Felipe Carneiro, Thiago A. Teixeira, Felipe S. Bernardes, Marcelo S. Pereira, Giovanna Milani, Amaro N. Duarte-Neto, Esper G. Kallas, Paulo H.N. Saldiva, Maria C. Chammas e Jorge Hallak, pode ser lido em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/and.13973.

O artigo Testicular pathology in fatal COVID-19: a descriptive autopsy study (DOI: 10.1111/andr.13073), de Amaro N. Duarte-Neto, Thiago A. Teixeira, Elia G. Caldini, Cristina T. Kanamura, Michele S. Gomes-Gouva, Angela B. G. dos Santos, Renata A. A. Monteiro, Joo R. R. Pinho, Thais Mauad, Luiz F. F. da Silva, Paulo H. N. Saldiva, Marisa Dolhnikoff, Katia R. M. Leite e Jorge Hallak, pode ser lido em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/andr.13073.

O artigo SARS-CoV-2 and its relationship with the genitourinary tract: Implications for male reproductive health in the context of COVID-19 pandemic (DOI: 10.1111/andr.12896), de Jorge Hallak, Thiago A. Teixeira, Felipe S. Bernardes, Felipe Carneiro, Sergio A. S. Duarte, Juliana R. Pariz, Sandro C. Esteves, Esper Kallas e Paulo H. N. Saldiva, pode ser lido em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/andr.12896.

E o artigo Viral infections and implications for male reproductive health (DOI: 10.4103/aja.aja_82_20), de Thiago A Teixeira, Yasmin C Oliveira, Felipe S Bernardes, Esper G Kallas, Amaro N Duarte-Neto, Sandro C Esteves , Jol R Drevet e Jorge Hallak, pode ser lido em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33473014/.
MAIS LIDAS
� vedada a transcri��o de qualquer material parcial ou integral sem autoriza��o pr�via da dire��o
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugest�o de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com