Sábado, 19 de Junho de 2021

Lauréis aos Profissionais da Saúde

29/03/2021 as 16:32 | Fernandópolis | Julio Cesar
As culturas civilizadas e o mundo desenvolvido tem por hábito valorizar seus “heróis”. Veteranos de guerra, esportistas, intelectuais, escritores, ativistas, homens e mulheres que fizeram a diferença de alguma forma neste mundo são honrados e exaltados pelos seus feitos. Os louros da Grécia antiga, as medalhas olímpicas, os troféus de campeonatos ou torneios, o próprio Nobel foram formas encontradas de honrar e exaltar alguém que se dedicou ou se esforçou por alguma causa.

Alguns países tem como praxe enaltecer e sempre valorizar estas figuras especiais. Por várias vezes quando morava nos Estados Unidos pude presenciar homenagens a veteranos de guerra. Não podemos negar que os americanos são muito agradecidos aqueles que de alguma forma fazem a diferença dentro daquela sociedade. Um exemplo de honra e agradecimento, posso citar por ter visto inúmeras vezes, no Sea World, parque americano em Orlando – Flórida ao microfone perguntarem se há naquele evento veteranos e se é confirmada a presença de algum fazem questão de pedir para que esse se levante e o público o aplaude com grande força, enquanto é transmitida em um telão a imagem do mesmo.

Infelizmente nossa cultura não tem o hábito de elogiar, reconhecer ou aplaudir o trabalho do outro. Temos algumas raras exceções, como no futebol, na política, na música. Na verdade, existem bajuladores que exaltam famosos que na maioria das vezes são extremamente preocupados consigo mesmos e com seus próprios interesses. Eles se destacam por suas habilidades, mas perante a comunidade, no sentido de fazer a diferença, ajudar, salvar, pouco se manifestam.

Citei tais fatos no intuito de expressar minha profunda frustração em relação ao tratamento de muitos aos nossos heróis atuais, os profissionais da saúde. Nossos verdadeiros guerreiros nesta guerra inacabada contra a COVID-19. Muitas vezes esquecemos que dentro do uniforme, jaleco e debaixo destas grossas máscaras estão mães aflitas, pais desgastados e filhos preocupados. São seres humanos e profissionais dedicados que precisam deixar o medo de lado, o cansaço, o estresse e se compenetrarem na missão de cuidar e salvar preciosas vidas.

Hoje final de março de 2021 com mais de um ano de pandemia escrevo este texto não tendo sequer a ideia de quando tudo isso irá acabar e vejo estes trabalhadores esgotados. Em contra partida vemos uma parcela da população que parece não ter caído a ficha ainda, muitos agem como se não estivessem neste mundo, sem empatia, multiplicando o vírus, trazendo maiores chances de colapso da saúde e mais dificuldades e riscos aos trabalhadores desta área.

Precisamos urgente rever nosso conceito de gratidão e reconhecimento, começar a tratar com mais respeito e honra nossos guerreiros da saúde. Uma população agradecida exalta o profissional, é ciente da rotina intensa, consegue se por no lugar de cada um que está se anulando neste período tão triste e conturbado. Precisamos aplaudir de pé estes homens e mulheres que abdicam diariamente em favor do seu próximo, deixam seu bem-estar e sua segurança para salvar aquele que padece. Quero ao finalizar deste texto oferecer meu sincero abraço fraterno e minhas orações pelas vidas desses trabalhadores, de suas famílias que são expostas ao risco de contágio por seus ofícios.

Que juntos e de forma unânime possamos agradecer todos os profissionais da saúde e que em uma só voz possamos dizer: MUITO OBRIGADO guerreiros e guerreiras DEUS ABENÇOE vocês!
MAIS Artigos
Estado de Mato Grosso do Sul
Fernandópolis
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com