Sábado, 11 de Julho de 2020

Há Gente

31/03/2020 as 17:52 | Fernandópolis | Sérgio Piva
Existe gente de todo tipo e diferente. Gente triste, emburrada, empacada, alegre, feliz e contente. Gente comendo, bebendo, correndo, saudável e doente. Gente séria, carrancuda, de bem com a vida e sorridente.

Tem gente estranha, inquietante, por fora e na entranha. Gente rasa, vazia e fútil, profunda, completa e útil. Gente má, violenta e arrogante, boa, divertida e reverente. Gente de outro mundo, gente como a gente, igual a todo mundo.

Gente magra, alta, gorda, peralta. Gente redonda, esguia, delgada e quadrada. Gene Bonita, feia, esquisita e alheia. Gente branca, amarela, sem cor e tagarela. Gente de caneta, enxada, giz e de panela. Gente que corre, que dorme, que luta e que não sai da janela.

Gente no singular e no plural, no escritório e no curral. Gente que quer única, gente que se faz múltipla. Gente que é arrebol, noite, meio-dia e pôr do sol. Gente tapada, malvada, benevolente e civilizada.

Gente de Deus, do capeta, dos seus e dos meus. Gente boa que faz o mal, como gimboa, se acha a tal. Gente à toa que é de paz, gente terrível de bondade assaz. Gente cética, crente, religiosa e demente. Gente quase sempre indulgente, que nunca foi gente.

Gente de fora e de dentro, sempre sem hora e sentimento. Gente estranha que é parente e do acaso que é transparente. Gente de carro, de jato, de charrete e de fato. Gente de demência e de jurisprudência.

Gente, calada, amarrada, com sorte e azarada. Gente que joga, que aposta, que roga e que encosta. Gente de karatê, jiu-jitsu, meditação e yoga. Gente de perfume, de creme e xampu. Gente de estrume, de meme, que não nasceu na zona sul.

Gente que se acha, que tem certeza, gente jogada no chão, outras sentadas à mesa. Gente comum, profana, retórica e que não me engana. Gente de berço, de terço, de fama e de cama. Gente de esperança, de pé firme, ceticismo e andança, cravada, volúvel, movediça e de bragança.

Gente de corrente, de asa, de barco e de casa. Gente velha, nova, idosa, de uísque e água com groselha. Gente contagiante, estressante, dispersante e autoconfiante. Gente que reza, amaldiçoa, calunia e preza. Gente que lastima, inveja, passa por cima e pragueja. Gente que incentiva, anima, contribui e motiva.

Gente que faz tipo, pobre e rico, uma que senta no trono, outra nem tem pinico. Gente que come e que passa fome, gente modesta e que só faz festa. Gente vegana, churrasqueira, cervejeira e vegetariana. Gente canceriana, de sagitário e ariana.

Gente de pouco crivo e muita que escreveu livro. Gente analfabeta, que não leu ou é indiscreta. Gente de chicote e abotoadura, gente de liberdade e de ditadura. Gente que anda ao vento e de cavalgadura. Gente que enxerga longe e de cegueira pura.

Gente verde, vermelha, amarela e azul anil. Gente brasileira e outra que é do Brasil. Gente de março, setembro e primeiro de abril. Gente do sul e do norte. Gente de cana, soja e gado de corte. Gente que empunhou espada e gente de muita sorte.

Gente que não tem fim. Toda classe de gente, pra você e pra mim. Tem mais exemplo de gente, que hoje parece resolvida. Gente de prepotência e gente sem norte. Gente de vida e gente de morte.


Sérgio Piva
s.piva@hotmail.com
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com