22/09/2014 | Tempo: Min: C / Max: C
Saúde
 
Funcionário Público denuncia neglicência de médico do SAMU de Fernandópolis
08/09/2011 - as 08:38:00
Fernandópolis - O funcionário público municipal Milton César Viana, denunciou esta semana, um grave caso de “negligência e mau atendimento”, de acordo com suas definições, quando buscou socorro junto ao SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Fernandópolis.

De acordo com Milton Viana, sua filha Mirian Glauci Rodrigues Viana Coltro sofreu uma complicação pós-cirúrgica quando já estava se recuperando em casa, no dia 27, sábado passado.

Milton, ao presenciar o estado de saúde da filha, ligou ao SAMU pelo 192, mas não conseguiu o atendimento que necessitava. “O médico que estava me atendendo perguntou se eu não tinha carro, se eu não poderia levar minha filha à Santa Casa. Mas eu falei sobre o estado de minha filha, no que o médico respondeu com ironia: ‘por acaso é ela quem vai dirigindo?’. Somente após 45 minutos chegou a minha casa uma ambulância do município, desprovida de equipamentos básicos para um socorro adequado”, alega Milton.

Estas e outras queixas do funcionário público estão numa carta assinada por ele e já entregue à Coordenadora Geral do SAMU, Rosemeire Hernandes.

Como é previsto o atendimento do SAMU

A equipe do SAMU é capacitada para realizar atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O socorro é feito após chamada gratuita, feita para o telefone 192. A ligação é atendida por técnicos na Central de Regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras ações. Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente, e designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista, para o atendimento no local, ou de acordo com a gravidade do caso, envia uma UTI móvel, com médico e enfermeiro.

Advertência

Confira a resposta oficial da prefeitura de Fernandópolis sobre o “Caso SAMU":

NOTA: “A prefeitura de Fernandópolis entendeu a reclamação do usuário e, se for conforme a denúncia feita por escrito, o munícipe está correto. Por conta disso, o médico regulador (que atende às ligações via 192) do SAMU foi advertido e se comprometeu em pedir desculpas à família. Caso haja reincidência, o profissional será demitido por justa causa. A prefeitura de Fernandópolis pede à população que continue fazendo reclamações e denúncias, através do Fala Cidadão ou direto na prefeitura. O fone do Fala Cidadão, que recebe ligações gratuitas, é o 0800 772 45 50.”
sua opinião
rodape