Sábado, 18 de Agosto de 2018
Seleções favoritas enfrentam lesões, negociações e até fake news
14/06/2018 as 07:28 | Brasil | Da Redaçao
A cada novo ciclo de Copa do Mundo sempre aparece alguma seleção que se apresenta como principal candidata ao título. No entanto, os times com conquistas mundiais em seus currículos sempre sobem de desempenho na reta final e se colocam entre os favoritos.

Na Rússia-2018, a tetracampeã Itália é a única que não estará presente. Uruguai, com duas taças, e Inglaterra, com uma, correm por fora. Brasil, Argentina, Alemanha, Espanha e França são os grandes favoritos.

Em dia de estreia de Copa, o Portal da Band preparou um resumão sobre como chegam esses times para a disputa do Mundial. Veja abaixo:

Brasil

Os problemas físicos atrapalharam bastante o planejamento da comissão técnica brasileira. A dor de cabeça começou com Neymar. No dia 3 de março, o camisa 10 teve que ser submetido a uma cirurgia para corrigir a fratura no quinto metatarso do pé direito. Apesar da boa recuperação, o atacante ainda não disputou uma partida inteira. Porém, ele marcou dois golaços nos amistosos preparatórios e animaram Tite e companhia para o Mundial.

Dias antes do anúncio da convocação foi Daniel Alves que se lesionou. O lateral-direito, titular e candidato a capitão na Rússia, teve que passar por uma cirurgia no joelho e ficou fora da lista dos eleitos para tentar o hexacampeonato.

Desde o começo da preparação na Granja Comary, Tite jamais teve os 23 convocados à sua disposição. Fagner e Douglas se apresentaram lesionados. Quando a dupla melhorou, Renato Augusto passou a sofrer com dores no joelho e ficou fora dos treinos e amistosos. Na última semana, Fred levou uma entrada dura de Casemiro e passou a ser desfalque, com o tornozelo inchado.

Além dos problemas físicos, a Seleção Brasileira vai precisar conviver com a alta expectativa e com a sombra dos 7 a 1. O grupo apresenta o melhor aproveitamento em amistosos (92%) nos últimos quatro anos, mas patina em jogos oficiais (62%). Uma final antecipada contra a Alemanha pode acontecer já nas oitavas de final, para isso não ocorrer é necessário que o Brasil e os alemães se classifiquem na mesma posição em seus respectivos grupos.

Argentina

Preparação tranquila e seleção argentina são termos que nunca podem ocupar a mesma frase. O período de treinamento de Lionel Messi e cia. teve cortes, amistoso cancelado e até acusação de abuso sexual.

Primeiro, o grupo sofreu baixas. O goleiro Sergio Romero foi cortado ainda na Argentina por lesão no joelho. Durante os treinamentos na Europa, foi a vez de Manuel Lanzini deixar o grupo após sofrer uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho direito. Nahuel Guzmán e Enzo Pérez foram convocados.

O amistoso preparatório marcado contra Israel causou polêmica e muito protesto por causa do conflito político entre israelenses e palestinos. No período de treinos em Barcelona, cerca de 15 palestinos apareceram na atividade vestindo camisas da seleção sul-americana manchadas de vermelho para simbolizar o sangue derramado pelos israelenses durante os ataques mais recentes. A atitude gerou impacto no elenco da seleção e os jogadores teriam manifestado o desejo de não disputar o amistoso. Pouco depois, a Associação do Futebol Argentino (AFA) decidiu pelo cancelamento da partida.

A última polêmica que tomou conta da Argentina foi um suposto abuso sexual cometido pelo técnico Jorge Sampaoli. O treinador teria sido denunciado por uma cozinheira da sede da federação argentina. A imprensa local, no entanto, garante que o caso não passa de fake news.

Alemanha

O título e o inesquecível 7 a 1 conta o Brasil durante a campanha vitoriosa em 2014 dão um peso ainda mais ao favoritismo da Alemanha. Além de tudo isso, os comandados de Joachim Löw se credenciam ao título pelo grande futebol apresentado durante todo esse período.

Porém, o grande número de opções trouxe dor de cabeça na escolha dos 23 convocados. Leroy Sané, que fez grande temporada pelo Manchester City, acabou ficando fora, assim como o centroavante Nils Petersen, do Freiburg, jogador alemão com mais gols no Campeonato Alemão 2017/18. Ele anotou 15 vezes, ficando atrás apenas do polonês Lewandowski, do Bayern de Munique, artilheiro com 29.

A aposta em Manuel Neuer também causou polêmica. O goleiro do Bayern sofreu uma fratura no metatarso do pé em setembro e não entrou mais em campo até os amistosos preparatórios da Alemanha. Recuperado, Neuer, titular no Mundial de 2014, foi a opção de Löw, deixando Marc-Andre Ter Stegen, que brilhou pelo Barcelona na temporada, no banco de reservas. A decisão foi questionada por muitos torcedores nas redes sociais.

Espanha

Os problemas físicos eram a única preocupação da Espanha até terça-feira, quando o Real Madrid anunciou Julen Lopetegui, treinador da Fúria, para assumir o lugar de Zinedine Zidane, surpreendendo os espanhóis e o mundo do futebol, já que o técnico havia acertado no mês passado a renovação de seu contrato com a seleção espanhola até 2020, quando ocorrerá a próxima edição da Eurocopa.

O anúncio do Real causou tanto estrago que Lopetegui foi demitido na quarta-feira, dois dias antes da estreia espanhola no Mundial, nesta sexta-feira, às 15h, em Sochi, diante de Portugal do craque Cristiano Ronaldo. Para tentar apagar o incêndio, Fernando Hierro, então diretor-geral esportivo da federação, assumiu o comando do selecionado espanhol.

Ainda durante a preparação, Dani Carvajal foi a principal preocupação. O lateral sofreu uma lesão muscular na final da Liga dos Campeões e foi integrado aos treinos da Espanha apenas a três dias da estreia. O zagueiro Gerard Piqué, um dos líderes da equipe, também assustou ao sofrer com dores no joelho esquerdo.

França

O mercado da bola foi o grande adversário da preparação francesa. Didier Deschamps viu o seu cargo ficar ameaçado por Zinedine Zidane. O ídolo francês surpreendeu ao anunciar a saída do comando do Real Madrid pouco depois da conquista do tricampeonato da Liga dos Campeões. Porém, a Federação Francesa o garante como treinador até a Eurocopa-2020.

Além de Deschamps, Antoine Griezmann foi outro grande protagonista. O craque do Atlético de Madrid é alvo do Barcelona para a próxima temporada e prometeu que anunciaria o seu futuro até o começo do Mundial.

Porém, na última terça-feira, 12, o atacante compareceu para uma entrevista coletiva e fez um pronunciamento em francês e espanhol para comunicar que já decidiu o seu futuro, mas não revelaria seu destino, pois o momento era de focar na Copa do Mundo.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com